Qual a importância das cores de seu bar e como isso influi nas vendas?

Bares e restaurantes podem abrigar reuniões de negócios, almoços de família, encontros de amigos e o início de um relacionamento amoroso. Cada um desses momentos exige um ambiente adaptado para as necessidades e desejos dos clientes. Você sabia que até mesmo a cor na parede de um bar pode influenciar as decisões de uma pessoa? Além do mais, todo bom chef precisa de um bom palco. Por isso, para transformar o seu bar em um ambiente memorável, é preciso entender a importância das cores.

Designers e arquitetos se unem em torno da cromoterapia para otimizar a comunicação de mensagens ao público. Acompanhe o nosso post de hoje e saiba como.

A importância das cores

A percepção humana da cor passa por diversos fatores:

  • Reações biológicas;
  • Inconsciente coletivo;
  • Associações ou simbolismo consciente;
  • Influência dos modos e costumes;
  • Tendências de moda;
  • Relacionamentos pessoais.

Assim, a cor em um ambiente gera uma percepção, causa impressões e, a partir disso, desperta reações emocionais. Quando comparada às formas, a cor se relaciona mais fortemente com o fator emoção.

O uso adequado da cor pode melhorar a experiência do usuário em qualquer projeto, seja através de efeitos psicológicos, fisiológicos ou emocionais. Daltônicos não ficam de foram dessa: no site We Are Colorblind há ótimas referências de interfaces para quem tem daltonismo.

A cromoterapia

A cromoterapia é o tratamento que procura estabelecer o equilíbrio e a harmonia entre as emoções, a mente e o corpo por meio das cores. Cada cor tem uma função terapêutica, e ao ser acionada impacta fortemente determinadas áreas do corpo humano. Tradicionalmente, a cromoterapia é aplicada na meditação, mas seus estudos emocionais sobre a cor guiam o trabalho de diversos designers e arquitetos.

O design e as cores

Na maior parte das vezes, bares e restaurantes abrigam momentos de descontração e união. Um ambiente com formas divertidas e cores cativantes pode ser um grande aliado para que amigos e familiares se aproximem e lancem um novo olhar sobre a experiência de comer e beber. Afinal, boa comida temos na casa de nossas mães, e não é difícil comprar uma boa garrafa de vinho ou cerveja artesanal. O grande desafio é oferecer um ambiente único, que convença o público a sair de casa para celebrar. Além disso, uma boa comida não ganha olhares sem uma boa teatralidade.

A brincadeira com os espaços

Regras gerais

Cores podem modificar espaços inteiros. De acordo com o arquiteto Carlos Galbe, os tons claros dão a sensação de espaços amplo, e os escuros aproximam.

  • Para alongar o ambiente, aplique 2 cores na mesma parede, com divisa a meia altura. Na parte de cima, use tons mais leves, e na de baixo, cores mais escuras. Se o seu desejo é encurtar as paredes, faça o contrário;
  • Para rebaixar um teto muito alto, use um tom mais escuro que o das paredes. Já para elevá-lo, use tons mais claros;
  • Para destacar objetos, aplique tons intensos ou contrastantes na parede de fundo — tal como no restaurante de comida polonesa Maria Escaleira.

Os exemplos

O Bangalore Express Restaurant, projetado pelo escritório Outline, poderia afligir pelo espaço pequenino, com mesas organizadas em beliches. Porém, os tons no teto são bem claros, e concedem uma sensação de amplitude e leveza ao ambiente.

No restaurante Flood, de Paris, os tons predominantes são o branco e o cinza, aludindo a um laboratório. A única cor viva é o verde de um líquido a borbulhar em um recipiente que se assemelha à vidraria que vemos nas aulas de Química.

O projeto é de Mathieu Lehanneur, que idealizou o também parisiense Electric Bar. Nele, os tons de cinza e branco aumentam o espaço e a sobriedade do ambiente minimalista, repleto de formas geométricas. São as formas as responsáveis pelo humor no espaço. Em ocasiões especiais, o Electric Bar ganha vivos tons de roxo e vermelho graças às luzes.

A importância das cores é tão grande como a sonoridade. Você já pensou no papel da música em seu espaço? Então leia o post “Qual a influência da música em um ambiente de consumo?” e saiba mais sobre o assunto.

Imagem: Bar Lekitsch, São Paulo. Fonte: Veja SP (vejasp.abril.com.br/2537.ref)